UA-84155756-1

MULTIPLICA DIGITAL – COM FARMÁCIA ONLINE E REMÉDIOS A US$ 5, STARTUP DOS EUA JÁ VALE US$ 1,5 BILHÃO

By: | Tags: | Comments: 0 | setembro 23rd, 2020

Com farmácia online e remédios a US$ 5, startup dos EUA já vale US$ 1,5 bilhão

startup de saúde digital Ro, que se autointitula a companhia do paciente, acaba de fechar uma rodada de investimento de US$ 200 milhões e ampliou para US$ 1,5 bilhão seu valor de mercado em apenas quatro anos de existência. E a mais recente aposta da empresa é a farmácia online com medicamentos a um preço fixo de US$ 5, um sinal de alerta para o varejo tradicional e gigantes que estão de olho no segmento – como Amazon e Walmart.

A operação na área farmacêutica começou em março e já acumula crescimento médio de 130% ao mês, segundo analistas de mercado. A Ro Pharmacy comercializa hoje mais de 500 medicamentos genéricos e aceita pagamentos apenas em dinheiro. Sua entrega abrange 23 estados por meio de redes de farmácias parceiras. Para fortalecer sua atuação no canal farma, a Ro deve iniciar vendas e entregas de medicamentos por correio.

Saúde virtual

Fundada em 2017, a startup iniciou sua incursão no setor com soluções de telessaúde para o público masculino e venda de medicamentos para disfunção erétil. Atualmente, opera três clínicas online também com uma proposta de valor acessível – US$ 15 por consulta e uma rede de médicos especializados em mais de 20 áreas, incluindo saúde sexual, perda de peso e dermatologia. Em 2019, apresentou um faturamento de US$ 250 milhões. Nos últimos 12 meses, contabilizou 5 milhões de interações médico-paciente.

“Queremos ser o primeiro elo com os pacientes. Quanto mais estamos envolvidos, mais podemos impactar o resultado. Infelizmente, o sistema de saúde convencional cobra valores elevados e não prioriza as experiências do usuário”, afirma o CEO Zachariah Reitano. O argumento de venda da Ro é oferecer preços acessíveis e uma experiência simples, que contempla o acesso aos farmacêuticos por mensagem de texto.

A empresa também chama a atenção por não trabalhar com seguradoras e PBMs, já que quase 90% dos medicamentos prescritos são genéricos de baixo custo – mais baratos do que um modelo de copagamento com cobertura de saúde. “Dessa maneira, podemos trabalhar diretamente com fabricantes e distribuidores para reduzir os preços”, acrescenta Reitano. Com essa filosofia, a startup firmou no último mês uma parceria com a Pfizer.

No futuro, a empresa também planeja oferecer serviços para testes de diagnóstico domiciliar. A Ro concorre atualmente com startups como a Hims, que recentemente iniciou estudos para abrir capital em uma avaliação de cerca de US$ 1 bilhão.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

You must be logged in to post a comment.