UA-84155756-1

MULTIPLICA DIGITAL – 20 DE JANEIRO: DIA DO FARMACÊUTICO – ORGULHO DE SER

By: | Tags: | Comments: 0 | janeiro 20th, 2022

20 de Janeiro: Dia do Farmacêutico – orgulho de ser

Por: Juan Carlos Becerra Ligos

Ser farmacêutico não tem como propósito apenas benefício próprio e lucros – é, antes de tudo, uma autorização, um privilégio que a sociedade nos dá para cuidar de pessoas. E melhorar sua qualidade de vida.

O problema da saúde no Brasil, privada ou pública: milhões de brasileiros não têm acesso a tratamento e a acompanhamento pelos profissionais de saúde – por falta de médicos, de equipamentos para exames, leitos ou medicamentos. Na maioria das vezes, nem o diagnóstico é possível. Nesses dois últimos anos, os farmacêuticos mostraram seu valor à sociedade, permanecendo em seus postos de trabalho e cuidando de pessoas. Outro ponto positivo foi a publicação de normas regulatórias que permitem ampliar e melhorar o acesso da população aos farmacêuticos e aos medicamentos: a telefarmácia e os canais digitais de relacionamento e atendimento avançaram muito – o que facilitou o acesso aos farmacêuticos, principalmente de idosos.

Raio–x da missão farmacêutica

As especialidades farmacêuticas são hoje agrupadas em 10 linhas de atuação: alimentos, análises clínico–laboratoriais, educação, farmácia hospitalar e clínica, farmácia industrial, gestão, práticas integrativas e complementares, saúde pública e toxicologia. Hoje, para efeito de certificados e títulos na carteira profissional, estão previstas 135 especialidades farmacêuticas. No Brasil, temos hoje 234.301 farmacêuticos inscritos nos conselhos regionais de Farmácia; nas farmácias e drogarias comerciais, 89.879; indústrias farmacêuticas, distribuidoras e  importadoras de medicamentos, 5.076 (dados de 2020–CFF)

Um detalhe: o varejo farmacêutico é predominantemente feminino – nas farmácias com manipulação, quase 80% dos profissionais são mulheres. O curso de Farmácia tem significativamente mais alunas mulheres. Entretanto, essa situação está mudando: cada vez mais homens estão ingressando no curso. Mas, no relacionamento com pessoas, é fato que a mulher costuma se sair melhor que o homem. Em ambos os sexos, a maioria dos farmacêuticos tem como primeiro emprego a drogaria sem manipulação. Temos 80 mil drogarias em atividade e cada uma precisa de mais de um farmacêutico para operar no mercado legalmente. Existe muita rotatividade no setor, principalmente por falta de sintonia entre a prática e a graduação, fazendo com que o farmacêutico não se identifique com o propósito da farmácia. Pelo ângulo da empresa, temos a queixa da falta de reciprocidade do farmacêutico. O varejo não requer profissionais com muita experiência, até porque oferece programas de treinamento alinhados com o propósito e o posicionamento da farmácia no mercado – posicionando esse setor como a primeira opção de emprego para os farmacêuticos.

Autonomia

As grandes organizações precisam ter maior controle das suas operações – o que limita a autonomia do farmacêutico. Já as farmácias de “vizinhança”, independentes, atendem de maneira mais personalizada, o que requer mais autonomia dos farmacêuticos, para que possam prestar serviços mais personalizados.

Assistência farmacêutica

O serviço de atenção farmacêutica consiste na avaliação da eficácia do tratamento prescrito, a promoção do uso racional de medicamentos, a aferição de parâmetros fisiológicos (ex: pressão arterial e temperatura) e bioquímicos (teste de glicemia capilar), além de aplicação de injetáveis. O farmacêutico do varejo precisa entender que o cliente hoje está mais informado e interconectado. A questão é como passar seu conhecimento para o paciente, não a responsabilidade, para que ele tome decisões corretas. Temos que “capacitar o paciente”, pois informação ele tem disponível na internet. Os farmacêuticos do varejo deixarão de ser os detentores de informações para se tornarem “educadores” e “zeladores” da saúde das pessoas, ajudando–os a cumprir seu tratamento capacitando–os a tomar decisões corretas, como parte da atenção farmacêutica.

Profissionais competitivos

As capacidades profissionais dos farmacêuticos ajudam, mas tenha a certeza de que não serão suficientes para fazer deles profissionais competitivos no atual mercado de trabalho. O seu comportamento, o modo como argumenta e age, a empatia, o otimismo, o tom da voz, a inspiração, ou seja, habilidades humanas, vão determinar o modo como as outras pessoas o veem. A busca por equipes de trabalho de alto rendimento e de gestores e líderes capazes de organizá–las e desenvolvê–las é uma das principais estratégias das empresas que querem se diferenciar no mercado atual.

Um líder é, antes de tudo, um “vendedor” de fé. Um farmacêutico “comum” pode tornar–se um líder? Sim, porque as pessoas têm a capacidade de evoluir.

Quanto mais subimos na carreira, menos a gente depende de competências técnicas e mais dependentes nos tornamos de competências emocionais. 

As tecnologias digitais hoje afetam profundamente a forma como os farmacêuticos se relacionam com os clientes. Aplicativos, comércio eletrônica e telemedicina ganham espaço na rotina dos consumidores, exigindo adaptação rápida e permanente das empresas e farmacêuticos. O consumidor está mais híbrido e complexo e a internet está presente em momentos decisivos do consumo.

Cenário Atual

  • Receita digital
  • Telemedicina
  • Assistência farmacêutica remota
  • Venda remota de controlados e antimicrobianos
  • Atender as obrigações regulatórias por canais digitais

Os principais atributos do farmacêutico no varejo, hoje:

– Manter o controle sanitário do comércio de medicamentos

–  Fazer a avaliação da prescrição médica

– Manter a documentação correspondente aos produtos sujeitos a controle especial

– Promover treinamento inicial e contínuo dos funcionários para a adequação da execução de suas atividades.

E ainda precisa desenvolver atributos, que vão além das principais funções na área técnica:

– Tem que gostar de gente

– Oferecer cortesia e gerar empatia

– Habilidades de comunicação

– Se atualizar e capacitar constantemente, ter vontade de aprender

– Espirito de liderança criativa

– Capacidade para trabalhar em equipe

Gostaria de finalizar com a minha frase:

“Os farmacêuticos mais notáveis são aqueles que colocam fé e esperança em cada fórmula, no medicamento que dispensam”.

Parabéns a todos os farmacêuticos, neste 20 de janeiro e nos demais dias do ano, quando diariamente cuidam de “pessoas”, não de doentes.

You must be logged in to post a comment.